Notícias

Terceiro dia de protesto contra o aumento tem tropa de choque em Teresina

Entre os gritos de guerra dos manifestantes – a maioria formada por estudantes e pessoas ligadas à movimentos estudantis e sociais – estavam palavras de ordem proferidas contra a Polícia Militar

10/01/2017 - Atualizado em: 11/01/2017, 10:20 Publicado por: Sávia Barreto Repórter: Salomão Prado

O terceiro dia de protestos contra o aumento da passagem de ônibus em Teresina está sendo marcado pelo número reduzido de manifestantes – cerca de 50 pessoas segundo cálculo da Polícia Militar – além do ‘catracaço’ e da presença da Tropa de Choque após o incêndio de um ônibus ocorrido na noite da última segunda-feira (09/01).

Jovens segurando cartaz contra o aumento, na avenida Frei Serafim (Foto: Salomão Prado/OitoMeia)

Jovens segurando cartaz contra o aumento, na avenida Frei Serafim (Foto: Salomão Prado/OitoMeia)

A estratégia utilizada pela Polícia Militar coibiu os manifestos, reduzindo o número de ‘catracaços’ e evitando maiores transtornos. Segundo o tenente coronel Feitosa, os resultados positivos são em consequência da união da Companhia Independente de Trânsito (Ciptran) e Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (Strans) junto com a Polícia Militar.

Coronel Feitosa acompanhando os estudantes (Foto: Salomão Prado/OitoMeia)

Coronel Feitosa acompanhando os estudantes (Foto: Salomão Prado/OitoMeia)

“Estamos acompanhado mais próximo para monitorar possíveis ações perigosas. E hoje temos aí a colaboração da Strans, Ciptran e da Tropa de Choque, para qualquer eventualidade”, disse ao OitoMeia o coronel que acompanhou de perto a evacuação dos ônibus baseada no trajeto dos manifestantes.

Em reposta ao trabalho da PM, os manifestantes incitaram as companhias de patrulhamento com gritos de guerra. “Não acabou, tem que acabar. Eu quero o fim da polícia militar”, diziam, ao passarem pelos policiais.

O ‘catracaço’, realizado em quase todos os ônibus nos dois primeiros dias, nesta terça-feira foi feito apenas em um. A ação acontece da seguinte forma: os manifestantes fecham a via e o ônibus só é liberado após o motorista abrir a porta de trás para os passageiros subirem gratuitamente.

GRUPOS AUMENTAM

Dos grupos de militância da capital, 10 compareceram neste terceiro dia. Foram eles: RUA, UJR, PSTU, ANEL, Movimento de Resistência, Ocupa Ufpi, DCE Ufpi, DCE Uespi, MNLM e AMES.

Taxista Teodoro Pereira revoltado com a atitude dos estudantes (Foto: Salomão Prado/OitoMeia)

Taxista Teodoro Pereira revoltado com a atitude dos estudantes (Foto: Salomão Prado/OitoMeia)

Revoltado com o congestionamento e as atitudes dos jovens, o taxista Teodoro Pereira chegou a discutir no cruzamento da avenida Frei Serafim com Miguel Rosa.  “Muitos estudantes não tem que manifestar coisa nenhuma. Não aumentaram a tarifa deles não. Porque estão fazendo manifestação ? Estão fazendo isso porque vocês são baderneiros”, disse.

PROTESTOS AOS SÁBADOS 

O jovem Pedro Kardeck, presidente do grêmio estudantil do Instituto Federal do Piauí (Ifpi), disse ao OitoMeia que os seus colegas e movimentos afins já esperavam essa estratégia da polícia, mas afirma que não vai parar e até nos finais de semanas estarão nas ruas.

“Já imaginávamos que eles iriam ter um plano desse tipo. Assistimos na TV que iriam cortar os ônibus. Só que não aconteceu, então vejo que eles procuraram agir de outra maneira. Mesmo assim vamos permanecer firmes com os atos, até dia de sábado”, pontuou Kardeck.

Leia também: “Catracaço” e ônibus queimado marcam segundo dia de protesto contra o aumento

Aumento no preço da passagem em Teresina não garante ar-condicionado em todos os ônibus

Promessa de Firmino: passe livre não tem previsão para acontecer em Teresina

Terceiro dia de protesto contra o aumento tem tropa de choque em Teresina (Foto: Salomão Prado/OitoMeia)

Terceiro dia de protesto contra o aumento tem tropa de choque em Teresina (Foto: Salomão Prado/OitoMeia)

Terceiro dia de protesto contra o aumento tem tropa de choque em Teresina (Foto: Salomão Prado/OitoMeia)

Terceiro dia de protesto contra o aumento tem tropa de choque em Teresina (Foto: Salomão Prado/OitoMeia)

Veja vídeo do protesto no local:

POLÍCIA INVESTIGA ÔNIBUS QUEIMADO

A destruição do ônibus que foi queimado na noite dessa segunda-feira (09/01) durante o protesto contra o aumento da passagem de ônibus de Teresina será investigada pela Polícia Civil. O secretário de Segurança Pública do Estado, o deputado Fábio Abreu, confirmou ao OitoMeia na manhã desta terça-feira (10/01) que o ato será apurado pelo 1º Distrito da Policial. “Vão apurar para descobrir exatamente quais os autores do vandalismo que ocorreu ontem”, disse ele.

Ônibus é incendiado durante manifestação do Contra o Aumento, na avenida Frei Serafim (Foto: Reprodução/Whatsapp)

Ônibus é incendiado durante manifestação do Contra o Aumento, na avenida Frei Serafim (Foto: Reprodução/Whatsapp)

O ônibus incendiado que fazia linha para o bairro Redenção, na zona Sul da capital, foi destruído por manifestantes que protestavam contra a decisão do prefeito Firmino Filho de aumentar a tarifa dos coletivos para R$ 3,30.

O veículo ficou nas proximidades do Hospital Getúlio Vargas (HGV), na avenida Frei Serafim.

 

Fábio Abreu disse que a polícia irá analisar imagens de câmeras de segurança e também imagens feitas pela imprensa local para identificar os manifestantes que participaram da destruição do ônibus.

“Vamos colher imagens das câmeras de segurança e também da imprensa para identificar os participantes desse ato”, contou o secretário ao OitoMeia.

comentários