Allisson Paixão

Não divulgamos suicídio; preferimos divulgar as maneiras de evitar

07/02/2017 - Atualizado em: 07/02/2017, 11:34 Publicado por: Redação OitoMeia

O OitoMeia não divulga casos de suicídio. Preferimos divulgar maneiras de evitar o suicídio.

Segundo dados divulgados em setembro do ano passado pela secretaria estadual de Saúde, o Piauí é um dos estados que mais registrou suicídio no Brasil.

Um boletim epidemiológico com números sobre mortes provocadas por suicídio feito pela Sesapi revelou que o Piauí possui Taxa Bruta de Mortalidade Especifica por Suicídio 43% maior que a média nacional.

Enquanto no Brasil a taxa é de 5,3 mortes por grupo de 100 mil habitantes, no Piauí esse índice chega a 7,6 mortes, considerando números de 2014. O estudo foi divulgado em evento feito em alusão ao Setembro Amarelo, mês de prevenção ao suicídio.

São números que assustam. E você, pai, mãe, avô, avó, tio, prima, amigo… qualquer um pode ajudar. Engana-se quem pensa que os casos de suicídio só acontecem com pessoas que estão depressivas. Pode ser um colega de trabalho ao seu lado neste exato momento.

Algumas dicas valiosas, buscadas em sites de saúde especializados em prevenção ao suicídio:

1-Conhece ou ouviu alguém dizendo algo do tipo: “estou cansado dessa vida”? Ou mesmo você já pensou assim? Leve a sério! Procure um médico ou procure um dos vários Centros de Apoio Psicossocial espalhados pelo estado. Telefone do Centro de Valorização da Vida (CVV) no Piauí: (86) 3222 0000;

2- Ouça atentamente, tenha paciência. Procure compreender os sentimentos da pessoa, busque a empatia. busque passar mensagens não verbais de aceitação. Demonstre respeito pela opinião da pessoa, por mais triste e chorosa que ela esteja. E demonstre a sua preocupação, que você está ali para dar a assistência que a pessoa mais precisa;

3-Com os jovens e adolescentes, procure cada vez mais compartilhar dos interesses deles. O objetivo principal é mostrar que você se importa o suficiente para levar a sério os interesses e gostos da pessoa. Faça algumas perguntas amplas, para que ela possa compartilhar seu entusiasmo pelos assuntos que gosta;

4-Com os mais idosos, faça-os sentirem úteis. Se você conhece um idoso que pode estar pensando em cometer suicídio, devido a um sentimento de impotência, tente fazê-lo se sentir útil. Peça para essa pessoa lhe ensinar alguma coisa, como por exemplo, cozinhar;

5- Não tenha medo de falar sobre suicídio. Algumas culturas e famílias tratam o suicídio como um tabu, evitando falar sobre o assunto. Existe um medo de que isso pode instigar pensamentos suicidas. Isso geralmente pode levar uma pessoa a nunca falar abertamente. O que acontece é o contrário. Falar abertamente sobre suicídio pode fazer um suicida em potencial repense suas escolhas. Mas, claro, prepare-se antes de falar. Leia sobre o assunto e diminua as distrações, como por exemplo desligar o telefone celular;

6-Permita o silêncio. Após iniciar a conversa, a pessoa pode ficar sem querer falar por um tempo. Ela provavelmente ficou chocada por você ter “lido a mente dela”, ou surpresa por ter feito algo que causou uma impressão equivocada. Antes de responder, pode ser que a pessoa precise de um tempo para se recompor;

7-Seja persistente. Se a pessoa tentar dissuadi-lo da conversa com um “eu estou bem”, manifeste suas preocupações novamente. Dê mais uma oportunidade para ela responder. Mantenha a calma, mas seja firme sobre sua vontade de discutir o assunto;

8-Faça com que essa pessoa fale. E deixe ela falar, nem que isso demore muito tempo. Ouça com atenção, mesmo que o que ela tenha a dizer seja doloroso de ouvir. Não tente discutir ou dar sermões. Em vez disso, ofereça opções para superar a crise;

9- Agradeça a pessoa por se abrir com você. Caso ela admita que teve pensamentos suicidas, expresse seu agradecimento pela confiança depositada em você. Também é uma boa ideia perguntar se ela já falou com alguém, e se já lhe ofereceram ajuda para lidar com seus sentimentos;

10-Faça uma espécie de acordo com o potencial suicida. Saiba se ela tem algum plano. Se sim, procure imediatamente apoio médico. Após terminar a conversa, prometa que estará disponível para conversar com ela a qualquer hora do dia e da noite. Demonstre estar ao lado dela e não permita que essa pessoa se sinta só. Garanta que antes de tomar qualquer decisão essa pessoa vai saber que você estará por perto.

Ubers são ‘proibidos’ por taxistas de atender clientes na rodoviária e no aeroporto

05/02/2017 - Atualizado em: 05/02/2017, 08:22 Publicado por: Redação OitoMeia

Sou cliente de um Uber. Neste sábado solicitei uma corrida e o questionei se ficou sabendo do ocorrido no Terminal Rodoviário Lucídio Portela, zona sul de Teresina.

Ele pediu para não ter seu nome revelado. Não por medo de retaliação por ser uber, mas porque possui um outro emprego e virou uber para tirar uma grana a mais.

Relatou que o caso ocorrido na rodoviária é mais comum do que se imagina. E acontece muito também no aeroporto Petrônio Portela, zona norte da capital.

“Na verdade os taxistas querem proibir a gente (ubers) de atender clientes na rodoviária e no aeroporto. Se eles (taxistas) verem a gente encostar para pegar cliente com mala, seguem nossos carros, ficam fazendo ameaça, xingam”, afirmou.

Segundo ele, entre os próprios ubers, em grupos de Whatsapp, é recomendado que evitem esse confronto com os taxistas, pois parecem ter “apoio” da Strans. “Os taxistas dizem que vão chamar a Strans para gente. Como se a gente fosse bandido e estivesse cometendo um crime. Eles alegam que somos transporte clandestino”.

FATO NO SÁBADO
Segundo reportagem exibida no programa Piauí TV – 2ª Edição, da TV Clube, uma mulher solicitou uma unidade de uber na rodoviária. Quando chegou, foi cercado pelos taxistas e não conseguiu atender a cliente, que evitou entrar no veículo. A Polícia Militar foi acionada e acalmou os ânimos. Mas o uber perdeu a corrida que faria.

Confronto entre taxistas e uber na rodoviária de Teresina (Foto: Reprodução da TV)

UBER EM TERESINA
O uber, maneira de transporte solicitada via aplicativo no smartphone, ainda não é regularizado em Teresina. Por isso os taxistas o acusam de ser ‘irregular ‘. Como é relativamente mais barato que um taxi, o uber cada vez mais tem ganhado a simpatia dos teresinenses. Esta é a segunda vez que ubers e taxistas entram em confronto publicamente desde a entrada do uber no Piauí, há três meses. Outro incidente registrado foi a apreensão de veículos que atendem como uber. A Strans e o batalhão de trânsito relataram como ‘veículos irregulares’.

Médicos ocupam Unimed e exigem que diretoria cumpra decisão judicial

04/02/2017 - Atualizado em: 04/02/2017, 09:30 Publicado por: Redação OitoMeia

Um grupo de médicos cooperados do Conselho Administrativo e Fiscal da Unimed em Teresina decidiu ocupar a sede da empresa, localizado no centro da capital, na madrugada deste sábado (04/02) para exigir que a atual diretoria cumpra decisão judicial e se afaste.

Grupo de médicos cooperados ocupa sede da Unimed (Foto: Divulgação)

Entre os cooperados, Benjamim Vale, Paulo Mateus, Doutor Hamilton e Doutor Elisiário se fizeram presentes na expectativa de verem o atual presidente, Leonardo Eulálio, ser afastado da função, bem como todos que fazem parte do Conselho da Unimed.

A decisão judicial do dia 1º de fevereiro, assinada pelo desembargador Raimundo Nonato da Costa Alencar, garante o afastamento por não verificar irregularidade que autorize a desconstituição dos efeitos da assembleia ocorrida no dia 20 de janeiro de 2017. Nesta data os cooperados haviam aprovado o afastamento de Leonardo Eulálio.

Aviso de intimação a ser entregue para Leonardo Eulálio (Foto: Reprodução)

No entanto, uma decisão judicial do desembargador Hilo de Almeida Sousa, em pleno plantão judicial (o que fez com suspeitas fossem levantadas), determinou a suspensão da referida assembleia. O juiz Hilo inclusive mandou invalidar o que os cooperados decidiram e mandou que uma multa fosse aplicada, no valor de R$ 20 mil.

Leonardo Eulálio, através de sua assessoria jurídica, tentou assegurar essa decisão via agravo de instrumento. Para o presidente da Unimed, a reunião do dia 20 de janeiro teria violado o regimento interno da empresa, por se tratar de um “artifício com o intuito de cercear o esclarecimento, pelos diretores, dos pontos questionados” e também porque “não teria sido instaurado o devido processo administrativo, o que impediria sua ampla defesa”.

O desembargador Raimundo Nonato Alencar, no entanto, disse que a direção do conselho teve direito de defesa assegurado a partir do momento em que, durante a assembleia, apresentaram “justificativas e esclarecimentos sobre os pontos controvertidos. Um dos objetivos da assembleia em questão, inclusive, era a apreciação de tais explicações”. A diretoria da Unimed não aceita a saída e divulgou a seguinte nota:

Nota divulgada pela direção da Unimed Teresina (Foto: Reprodução)

Da série ‘Listas’: Saiba quem são os jornalistas mais bem pagos do Piauí

03/02/2017 - Atualizado em: 03/02/2017, 16:42 Publicado por: Redação OitoMeia

Listas. As pessoas gostam de listas. Depois da dos mais ricos do Piauí, recebi algumas sugestões de novos rankings sobre os mais variados temas e categorias. Farei algumas delas e divulgarei semanalmente.

Uma das sugestões envolve meus colegas de profissão. Topei o desafio de apurar, ouvir fontes e mexer com este povo. Claro que, quando o assunto é revelar o que não se quer que seja revelado, é possível que entremos também na área da especulação.

Pois bem, segue abaixo a lista dos dez jornalistas do Piauí (atuando no Piauí, vale frisar) que possuem os melhores salários (por mês). Levo em conta não apenas o que está comprovado no contracheque da empresa em que atua, mas assessoria (ou consultoria), patrocínio (público e/ou privado) e os ‘por fora’ (freela, cerimonial, participação em eventos etc):

1-Ieldyson Vasconcelos (TV Meio Norte): R$ 100 mil
2-Tony Trindade (TV Antena 10): R$ 80 mil
3-Rivanildo Feitosa (Jornal Meio Norte): R$ 70 mil
4-Beto Rêgo (TV Antena 10): R$ 60 mil
5-Amadeu Campos (TV Meio Norte): R$ 55 mil
6-Cínthia Lages (TV Meio Norte) / Elisabeth Sá (Assessoria da Assembleia): R$ 50 mil
7-João Neto (TV Clube) / Arimateia Azevedo (Portal Az): R$ 30 mil
8-Arimatea Carvalho (Jornal Meio Norte) / Paulo Brito (Rádio Meio Norte): R$ 20 mil
9-Neyara Pinheiro (TV Clube) / Elivaldo Barbosa (TV Cidade Verde): R$ 15 mil
10-Nadja Rodrigues (TV Cidade Verde) / Efrém Ribeiro (Jornal Meio Norte): R$ 12 mil

Da esquerda para direita, de cima para baixo: Ieldyson Vasconcelos, Tony Trindade, Rivanildo Feitosa, Beto Rêgo, Amadeu Campos, Cínthia Lages, Elisabeth Sá, João Neto, Arimateia Azevedo, Arimateia Carvalho, Paulo Brito, Neyara Pinheiro, Elivaldo Barbosa, Nadja Rodrigues e Efrém Ribeiro (Fotos: Reprodução Facebook / Instagram)

Dr. Pessoa revela convite até do PSDB: “Eu posso até ir, mas só se o Firmino sair”

03/02/2017 - Atualizado em: 03/02/2017, 10:54 Publicado por: Redação OitoMeia

O deputado estadual Dr Pessoa (PSD), em uma entrevista rápida logo após a mensagem do governador Wellington Dias (PT), lida em um plenário lotado na Assembleia Legislativa, nesta quinta-feira (03/02), admitiu que recebeu “vários convites” para mudar de partido.

Citou pelo menos sete partidos, até o PSDB, de quem é rival declarado desde a eleição passada. Veja o que ele disse no ‘ping pong’ a seguir:

Dr Pessoa em entrevista (Foto: Reprodução)

OitoMeia: O senhor recebeu convite até do PSDB? Conte esse negócio direito…
Dr. Pessoa: Rapaz, foi o (deputado) Luciano (Nunes)… não sei se foi em tom de brincadeira, mas me chamou…

OitoMeia: E o senhor disse o quê?
Dr. Pessoa: Eu disse pra ele que posso até ir. Mas só se o (prefeito reeleito) Firmino (Filho) sair…

OitoMeia: (Risos) Quem mais o convidou?
Dr. Pessoa: Ah, recebi vários convites… Tem o PMDB, como foi dito aí por vocês na imprensa… Mas foi o PTC do (deputado) Evaldo (Gomes), o PR do (secretário) Fábio Xavier, o PHS da vereadora Cida, o PT, o PP, o PSDB…

OitoMeia: Todos formalizaram esses convites?
Dr. Pessoa: Formal mesmo só o PMDB. Os outros falaram comigo, como o deputado Júlio Arcoverde, que disse que me queria no PP, o deputado Evaldo, de quem eu gosto muito, que me convidou para o PTC…

OitoMeia: E o senhor quer mesmo sair do PSD?
Dr. Pessoa: Eu não me senti bem (com meu partido) porque quando eu mais precisei, houve uma certa falha, né… Não tenho o pensamento de mudar… ainda não, entende… mas eu não descarto não, viu.

Mão Santa decreta luto de três dias por morte de Marisa Letícia; petistas consideram deboche

03/02/2017 - Atualizado em: 03/02/2017, 10:52 Publicado por: Redação OitoMeia

O prefeito de Parnaíba Mão Santa (SDD) decretou luto de três dias pela morte da ex-primeira dama Marisa Letícia.

Por ser arquirrival do agora viúvo ex-presidente Lula (PT), o gesto foi no mínimo surpreendente. Para alguns petistas, foi deboche mesmo.

Pura estratégia de marketing! Mão Santa, aliás, sempre foi um grande marqueteiro de si mesmo. Foi uma atitude valiosa, para realmente homenagear uma ex-primeira-dama? Ou foi só para aparecer na mídia?

Mão Santa (Foto: Divulgação)

Vamos a um breve histórico da rixa Mão Santa X Lula: o atual prefeito ficou famoso no país, enquanto senador da República, por seus discursos carregados de ironia nos dois mandatos do ex-presidente, entre 2003 e 2011.

Transformou suas falas em livro, escrito pelo jornalista Zózimo Tavares, em 2009. E, após alguns anos de ‘geladeira’, sem mandato e colecionando derrotas em eleições (adversários associavam essas derrotas a Lula, inclusive), Mão Santa retorna ao poder derrotando justamente o PT.

A eleição de Mão Santa no ano passado, em cima de Florentino Neto (PT), que disputava a reeleição e tinha o Governo Wellington Dias (PT) como aliado, ganhou as páginas de tudo que é jornal. A repercussão foi tanta que seu mandato hoje é acompanhado de perto por veículos da imprensa nacional.

Sendo assim, não se assuste se ver o decreto assinado por Mão Santa estampando as páginas de uma Folha de São Paulo, Estadão…

Decreto assinado por Mão Santa (Foto: Divulgação)

Freitas Neto: “Todos sabem que prefeitos, governadores e o presidente são chantageados”

02/02/2017 - Atualizado em: 02/02/2017, 10:20 Publicado por: Redação OitoMeia

Ex-governador, ex-senador, ex-ministro, ex-um bocado de outras coisas, Freitas Neto é daqueles políticos que, mesmo afastado de um mandato desde o fim da década de 90 é respeitado aonde quer que esteja. Não só no Piauí, mas em todo o Brasil.

Atual diretor da Fiepi (Federação das Indústrias), Freitas Neto publicou um artigo interessante na edição da terça-feira passada (31/01), do jornal O Dia. Intitulado, ‘Aos prefeitos: caminho para uma boa gestão’, o ex-um bocado de coisa deu orientações primorosas de como ser um bom gestor.

Freitas Neto (Foto: Divulgação)

“Foi-se o tempo que era considerado bom governante o que concedia benefícios mais do que podia ou realizava grande volume de obras custasse o que custasse mesmo que comprometesse a saúde financeira ou endividasse além da capacidade o Município, o Estado ou o País”, escreveu Freitas Neto, que foi além ao falar até em chantagem:

“Todos sabem que prefeitos, governadores e o presidente da república são pressionados e até chantageados em função dessa segmentação partidária absurda que o atual sistema político-partidário propícia. É difícil compor uma administração competente e ao mesmo tempo obter apoio político para governar. Esta realidade tem prejudicado a classe política que apesar disto resiste em promover a reforma necessária que acabaria com as legendas de aluguel e moralizaria a atividade partidária”.

Ele compara a situação da administração pública com uma família e orienta o gestor a ser como um pai responsável: “Assim, como um chefe de família que gasta mais do que ganha desequilibra seu orçamento e põe a mulher e os filhos em dificuldades, no poder público igualmente tem que se programar no limite de sua arrecadação, de suas receitas. Tem que ”fazer conta” e não desrespeitar a aritmética”. Confira o artigo na íntegra:

Aos prefeitos: Caminho para uma boa gestão

ACM Neto e Geraldo Alckmin foram considerados dois grandes vitoriosos nas eleições de 2016.

O primeiro, prefeito de Salvador, reelegeu-se com 74% dos votos da mais destacada capital nordestina. Alckmin, governador de São Paulo, tido como quem mais se fortaleceu no plano nacional graças ao excelente desempenho de seu Partido no mais poderoso Estado brasileiro.

Indagados pela imprensa sobre as razões que explicam tamanho êxito eleitoral ambos responderam enfatizando o equilíbrio fiscal e financeiro de suas respectivas gestões como motivo preponderante.

Diante da crise sem precedentes em que o Brasil mergulhou entrando em recessão econômica a partir do segundo trimestre de 2014 os dois elegeram a austeridade fiscal como prioridade e assim, com seus efeitos benéficos, puderam trabalhar pela população.

Foi-se o tempo que era considerado bom governante o que concedia benefícios mais do que podia ou realizava grande volume de obras custasse o que custasse mesmo que comprometesse a saúde financeira ou endividasse além da capacidade o Município, o Estado ou o País. Obras que muitas vezes não geravam retorno econômico ou social, não eram importantes para melhorar a vida da população nem eram estruturantes para o desenvolvimento. Muitas deste tipo foram feitas pelo Brasil.

As despesas para sustentar máquinas administrativas inchadas e ineficientes para atender meramente compromissos políticos-partidários tem representado uma sangria crescente nas três esferas da administração: municipal, estadual e federal.

O resultado destes descaminhos administrativos está aí: o Brasil apresentando PIB negativo nos últimos anos, inflação acima da meta, incapacidade de investir, infraestrutura deficiente, serviços públicos se deteriorando a cada dia e o pior, 12 milhões de desempregados e queda de renda da população de 10, 3% de 2014 para cá. O conjunto da obra tem gerado graves problemas sociais para o povo brasileiro.

Por sua vez os Estados e os municípios estão quebrados, em parte porque gastaram mal e também porque as receitas caíram com a situação econômica nacional.

Todos sabem que prefeitos, governadores e o presidente da república são pressionados e até chantageados em função dessa segmentação partidária absurda que o atual sistema político-partidário propícia. É difícil compor uma administração competente e ao mesmo tempo obter apoio político para governar. Esta realidade tem prejudicado a classe política que apesar disto resiste em promover a reforma necessária que acabaria com as legendas de aluguel e moralizaria a atividade partidária.

Esta moralização se impõe e traria novos valores para atuar melhorando a imagem dos políticos infelizmente desgastada e com prestígio e respeitabilidade abalados. As novas regras impostas por uma reforma conseqüente resultaria num salto de qualidade na gestão da coisa pública beneficiando a população que, por sua vez, voltaria a crer nos seus líderes.

Entre 2003 e 2009 a economia mundial viveu em “céu de brigadeiro”. Foi uma fase de crescimento e estabilidade.

Os países em desenvolvimento tiraram proveito, exportaram muito. As commodities alcançaram preços altos no mercado internacional. Perdeu-se ali a oportunidade ideal para as reformas que o Brasil reclama e vai ter que fazer.

Infelizmente o caminho escolhido foi o da gastança e das facilidades que nos primeiros tempos rendem votos! Depois, inexoravelmente, a conta chega com juros e quem tem que pagar é o povo.

Em economia não há milagres. Assim, como um chefe de família que gasta mais do que ganha desequilibra seu orçamento e põe a mulher e os filhos em dificuldades, no poder público igualmente tem que se programar no limite de sua arrecadação, de suas receitas. Tem que ”fazer conta” e não desrespeitar a aritmética.

Esta regra básica deixando de ser cumprida advém, fatalmente, o desequilíbrio que provoca atraso nas obrigações, nos salários, a qualidade dos serviços públicos cai por terra e a consequência automática é a impopularidade do dirigente e o sofrimento da população.

Racionalizar a gestão, escolher bem a equipe de governo, definir criteriosamente o que é prioritário, fazer política mas evitar politicagem, ouvir as ruas, valorizar o servidor, cuidar dos serviços públicos essenciais e manter as contas equilibradas é a receita para quem pretende corresponder à confiança que o povo depositou no governante na hora que o elegeu.

Desviar-se deste roteiro, principalmente em anos difíceis como os que estamos atravessando, é cometer um erro estratégico que pode inviabilizar a administração e o gestor passar a ser mal avaliado por aquele que deve ser a razão maior de toda a ação de governo: O povo.

Freitas Neto, Ex-governador, Economista, Diretor de Assuntos Econômicos da FIEPI

Artigo Publicado na Revista FIEPI, edição de janeiro/2017 e publicado no Jornal O Dia (31/01)

 

Elivaldo Barbosa ganha R$ 1 mil na campanha Nota Piauiense, da Sefaz

31/01/2017 - Atualizado em: 31/01/2017, 14:28 Publicado por: Redação OitoMeia

Jornalista Elivaldo Barbosa (Foto: Reprodução TV Cidade Verde)

O jornalista Elivaldo Barbosa, da TV Cidade Verde, foi contemplado no prêmio ‘Nota Piauiense – CPF na Nota’, promovido pelo Governo do Estado através da Secretaria Estadual de Fazenda (Sefaz), divulgado nesta terça-feira (31/01).

Elivaldo ganhou R$ 1 mil. Além dele, mais 29 faturaram o mesmo prêmio neste valor. Não é a primeira vez que uma pessoa, digamos, ‘conhecida’ ganha na campanha. Recentemente a campanha foi alvo de críticas por conta da premiação sair para parentes de políticos.

Na premiação de novembro, a mãe do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Themístocles Filho (PMDB), Ivanária Sampaio, faturou o prêmio maior, no valor de R$ 50 mil. Na de dezembro foi uma prima do senador Elmano Ferrer (PTB), Roberta Rocha Ferrer Pompeu, que embolsou o mesmo valor.

E não. Não acredito que seja ‘esquema’. É questão de sorte! Eu mesmo já ganhei nessa campanha. Não foi R$ 1 mil e nem R$ 50 mil. Foi R$ 100. Talvez minha sorte seja menor…

Sem JVC e sem Elmano, ficando ou não no PTB, deputados formam bloco pró-W.Dias

31/01/2017 - Atualizado em: 31/01/2017, 10:03 Publicado por: Redação OitoMeia

Órfãos de um líder, já que o ex-senador João Vicente Claudino deixou o PTB e o senador Elmano Ferrer está de malas prontas para o PMDB, os deputados estaduais Nerinho, Liziê, Janaína Marques, José Hamilton decidiram formar um bloco pró-Wellington Dias (PT).

Só não vão é para o PT, mas já anunciaram ao governador que, mudando ou não de partido, estarão ao lado dele em 2018. Não pretendem ingressar no PR, como anunciam nos bastidores, porque por lá já teriam de enfrentar  problemas ainda maiores. E sim, podem continuar no PTB.

Por enquanto o partido vai sendo tocado pelo deputado federal Paes Landim, que de Brasília (DF) faz uma média com a direção nacional e outra média com o diretório estadual. Já Fábio Abreu, esse sim pode sair do partido e filiar-se ao PR. Está só esperando o arquirrival Silas Freire ser expulso.

Sim. Silas vai ser expulso para que não seja punido por infidelidade partidária. Vai ser uma expulsão branca. Silas vai comandar o PODEMOS, nova sigla, no Piauí. Assim que ele sair, Fábio Abreu assina a ficha de filiação e atuará na campanha de 2018 ao lado de Fábio Xavier e toda a cúpula do PR.

Lembra da Operação Mercedes? Justiça determina que carro seja devolvido ao banco

30/01/2017 - Atualizado em: 30/01/2017, 19:40 Publicado por: Redação OitoMeia

Um ano depois do estouro da chamada ‘Quadrilha das Mercedes’, quando a Polícia Civil do Piauí apreendeu cerca de dez carros Mercedes Benz, cada um avaliado entre R$ 100 mil a R$ 200 mil, o banco da empresa alemã venceu ação no Piauí.

Operação foi batizada de Mercedes por causa dos vários carros apreendidos (Foto: Divulgação)

Segundo a ação, assinada pelo juiz Agliberto Gomes Machado, da 3ª Vara Federal da Seção Judiciária do Piauí, o Banco Mercedes Benz deve ter de volta sob sua propriedade o Mercedes Benz modelo A200, placa LWM-9777, que estaria sob o poder de Leonardo Lima das Neves, mais conhecido como Léo Cachorrão.

O cantor, ainda em outubro de 2015, quando houve a operação e o delegado Mateus Zanata havia indiciado treze pessoas, explicou que na verdade foi vítima de todo o golpe. Comprovou através de transferências realizadas em nome de Roberto Albert Lima de Carvalho, que foi preso apontado como suspeito de comandar a quadrilha na época.

Léo Cachorrão havia dado R$ 40 mil de entrada e assumiria as prestações do carro que sairia “mais barato” que o valor colocado na concessionária Newsedan, localizada na zona leste de Teresina. O cantor chegou a admitir à Polícia que havia deixado de pagar as prestações por culpa de Roberto, que sumiu com o boleto para pagamento. O banco Mercedes alegou, na ação, que foi vítima de fraude de uma quadrilha. E ganhou.

pesquisar no blog