Cidades

Policial é suspeito de desaparecer com os R$ 60 mil roubados de casa lotérica

Suspeito, PM confirmou que pegou a mochila, mas diz que teve o dinheiro levado no meio da multidão e não sabe quem pegou

11/01/2017 - Atualizado em: 11/01/2017, 08:21 Publicado por: Allisson Paixão

Um policial é o principal acusado de ter desaparecido com os R$ 60 mil roubados da casa lotérica Mega Sorte, localizada no bairro Betânia, na cidade de Parnaíba, a cerca de 350km da capital Teresina.

A informação foi confirmada pelo Tenente Coronel Adriano de Lucena, comandante do 2º Batalhão da Polícia Militar, em Parnaíba. Ele apresentou o acusado ao delegado Eduardo Pereira, já que um inquérito foi aberto para apurar o sumiço da mochila que continha os R$ 60 mil.

A casa lotérica foi assaltada na última sexta-feira (06/01). Dois homens fizeram clientes e funcionários como reféns após colocarem R$ 60 mil dentro de uma mochila. Houve uma negociação que durou cerca de sete horas. Um dos criminosos entrou em confronto com os policiais, e levou um tiro na cabeça, morrendo no local.

Mochila levada por um dos policiais (Foto: Reprodução Youtube)

Mochila levada por um dos policiais (Foto: Reprodução Youtube)

O outro tentou voltar, fazendo as pessoas como ‘escudo humano’, para dentro da casa lotérica. Mas se entregou logo em seguida e foi abordado pelos policiais próximos. Um desses, que não estava fardado, mas usava uma camisa vermelha e um colete a prova de bala de cor verde, levou a mochila.

“Segundo ele (o policial), em depoimento após identificarmos com a análise das várias câmeras de segurança no local, ele pegou a mochila para proteger, mas no momento do tumulto alguém teria levado o dinheiro”, informou Lucena, confirmando que, apesar de terem encontrado a mochila, não se sabe para onde foi o dinheiro.

“O policial, por enquanto, já que ainda estamos em fase de suspeição, isto é, ele ainda é apenas suspeito, não foi afastado e nem está preso. Cabe agora a apuração do inquérito descobrir o que realmente aconteceu naquele momento”, disse o comandante, que lamentou que um colega de farda tenha cometido tal feito: “Só o fato de ter um colega policial como suspeito já nos deixa triste”.

Relembre como foi a ação na casa lotérica:

comentários