25/05/2017 (86) 98119-5253

Layani Prado

Realidade Virtual e as novidades tecnológicas para 2017

09/01/2017 - Atualizado em: 09/01/2017, 08:02 Publicado por: Layani Prado

Já que todo ano inicia com a principal feira tecnológica do mundo, é resumindo as impressões da CES 2017 que o blog vai começar. Tudo de novidade em tecnologia é apresentado na CES em Las Vegas. A feira cresceu tanto que já ocupa o espaço de duas áreas de conferências. Os especialistas em tecnologia se aglomeram para ficar por dentro das últimas novidades em tecnologia de ponta e têm uma ideia do que vem por aí. Se depender dos produtos apresentados em 2017 você vai falar sozinho e se isolar em um mundo virtual.

CES traz as principais inovações para o ano de 2017 (Foto: Divulgação)

CES traz as principais inovações para o ano de 2017 (Foto: Divulgação)

Os produtos apresentados este ano não conseguiram empolgar. Já faz algum tempo que não aparece nenhum produto realmente revolucionário de tecnologia. Será que alguém consegue lembrar de algum produto realmente inovador depois do surgimento do smartphone? Todos os anúncios de produtos parecem ser apenas mais do mesmo. Devez em quando aparecem produtos que conseguem empolgar um determinado grupo, mas que nunca chegam às massas, alguém lembra do Google Glass? Até que ponto as novas tecnologias são desenvolvidas apenas para causar uma ereção entre os admiradores da tecnologia, já que elas parecem não sobreviver no mercado?

Este ano os gadgets espalhados pela feira pareciam ser os mesmos do ano passado, apenas com algumas melhorias. O relógio virtual que parecia ser a grande promessa em 2016 não conseguiu um número expressivo de vendas e já apareceu com menos destaque. Vários computadores super potentes para os gamers. Vários novos modelos de celulares e muitas tecnologias automotivas.  A grande promessa foi a mesma que já havia começado a engatinhar no ano passado, a realidade virtual.

O maior interesse do público que visitou a CES 2017 era experimentar as máquinas e óculos de realidade virtual. Relatos de filas de até três horas para experimentar o óculos de realidade virtual do Google. No entanto é complicado avaliar se a realidade virtual vai mesmo atrair os consumidores para distribuição em massa. A maior aplicablidade da realidade virtual no momento tem sido nos jogos. No entanto, ela ainda enfrenta grandes problemas antes de chegar ao ponto de venda para o consumidor. Como conseguir se adaptar às pessoas que usam óculos? Porque eu posso falar em primeira pessoa o quanto já é desconfortável ir ao cinema assistir um filme 3D e ter que colocar um óculos por cima do outro. A reclamação mais comum entre os usuários de óculos de realidade virtual é a de enjoo, aparentemente a maioria das pessoas começam a se sentir bastante nauseadas após poucos minutos de uso. No lugar de apresentar o quanto os jogos podem se tornar mais imersivos é preciso eliminar os efeitos colaterais dessa imersão.

Os visitantes da CES só queriam saber de Realidade Virtual (Foto: Divulgação)

Os visitantes da CES só queriam saber de Realidade Virtual (Foto: Divulgação)

O mais preocupante num mundo de realidade virtual é a imersão completa estilo Matrix que as máquinas de realidade virtual proporcionam. Chega a beirar o ridículo ver pessoas usando os óculos agindo de forma completamente estranha sem noção do espaço que o cerca. É possível ver vários vídeos de pegadinhas no Youtube com pessoas usando a realidade virtual para corroborar o que eu digo. Ainda há o problema da sensação de exclusão de quem está de fora quando não há um telão demonstração. É aquela sensação de não entender a piada interna. O que acaba justificando as pegadinhas.

Além da realidade virtual, o que parece ter se desenvolvido mais na área tecnológica foi a assistente virtual. O surgimento do Amazon Echo com a assistente virtual Alexa gerou curiosidade. Apesar das grandes aplicações que as assistentes virtuais podem ter, como inclusão para pessoas com algum tipo de deficiência para controle total de aparelhos apenas com o uso da voz, as assistentes virtuais ainda estão em estágio de regurgitação de dados. Por exemplo a Alexa é bastante interessante de se brincar com pesquisas no Google e fazendo pedidos de compra, mas após alguns minutos a brincadeira já fica sem graça.

Um aspecto das inovações tecnológicas que causa curiosidade é o controle total da casa por computadores. Isso parece ser uma realidade já vivida para quem tem muito dinheiro, o Mark Zurckerberg chamou até o Morgan Freeman para dar voz à sua assistente virtual que controla sua casa, mas não seria muito aplicável pelas bandas daqui, por exemplo. Imagina ter sua casa toda controlada por computador em que você pode se sentir o Tony  Stark, mas aí falta luz? Primeiro vamos garantir o gerador.

O que realmente causou burburinho e desconforto na CES 2017 foi a escova de cabelo da L’Oreal. A marca apresentou uma escova de cabelo que te dá alguns dados sobre o movimento das mãos e te ensina a melhor forma de pentear os cabelos. Será que em um mundo de tecnologia facilitando as nossas vidas estamos realmente tão estúpidos que precisamos de uma escova que ensina a escovar os cabelos?

A CES definitivamente não foi tão empolgante quanto alguns anos anteriores, acho que as empresas têm preferido apresentar seus produtos em seus próprios eventos, que garantem uma cobertura com mais destaque na mídia. Resta saber se essa CES fraca ainda foi respingo do ano de 2016, que parece não ter sido bom em vários aspectos. É o jeito aguardar as novidades no decorrer do ano, parece que vai ter muita gente conversando com os aparelhos eletrônicos e com personagens 3D.

comentários
pesquisar no blog